Avalie este item
  • 0.00 / 5 5
(0 votes)

Floresta Amazônica queimada

Reprodução: Ueslei Marcelino/Reuters

A floresta amazônica e as ações do ser humano.

Não poderíamos ter um momento melhor que esse para explicar a você o quão preocupante é as queimadas na floresta amazônica, levando a conclusão de que devemos contribuir para um planeta saudável, cheio de vida, cor e “respirável”.

O que aconteceu na selva intensa da Amazônia até então?

Desde a primeira quinzena de Agosto, as queimadas na região norte e centro-oeste têm se intensificado. E para quem mora nessas regiões mais secas, as queimadas já são conhecidas devido a necessidade de limpar o local para que a agropecuária comece um novo ciclo.

As queimads em geral acontecem devido a agropecuária que precisa estender seus campos para uma maior produção. E infelizmente quando há a queimadas (principalmente intencionais) não dá para prever até onde o fogo se estenderá, podendo se alastrar pela floresta amazônica.

Sem contar o clima seco que acaba sendo um fator adicional para que haja dificuldade em extinguir o fogo.

A importância da Amazônia

A selva intensa existente não serve apenas para abrigar animais e plantas, indo além do que pensamos. Nos dias de hoje, a floresta é composta com uma biodiversidade sem precendentes, onde:

  • Produz 20% do oxigênio que respiramos;
  • Abriga mais de 50% de plantas e animais diversificados;
  • Representa 40% das florestas tropicais do mundo;
  • Detém de 20% da água potável do mundo;

E mesmo assim, ser o pulmão do planeta Terra não tem sido suficiente para manter o ser humano longe. Concentrada maioritariamente na floresta amazônica e no cerrado, as queimadas têm sido alvo de preocupação para a população mundial.

Com as queimadas há uma perda gigantesca de biodiversidade e fertilidade do solo, afetando também a população em geral.

Segundo dados registrados pelo INPE do dia 01 de Janeiro ao dia 22 de Agosto dos últimos 6 anos, 2016 e 2019 foram os anos em que mais houve focos de queimadas no país.

Se você esteve em contato com qualquer tipo de fumaça, não hesite em ir ao hospital.

Quais iniciativas você pode tomar:

Felizmente, é possível reverter algumas dessas ações do ser humano mudando alguns hábitos, como por exemplo, movimento #segundasemcarnevegetarianismo/veganismo e reflorestamento. Se você não está familiarizado com esses termos, vamos explicar.

  • Movimento #SegundaSemCarne: Esse movimento tem como objetivo levar as pessoas a reduzirem o consumo desenfreado de carne. E porque? As queimadas que acontecem em várias regiões do Brasil, é maioritariamente para exercer funções pecuárias, ou seja, ter mais espaço para o gado com a finalidade de pôr ela na mesa da população. Há perfis nas redes sociais como o Segunda Sem Carne, que inspira quem participa.
  • Vegetarianismo e Veganismo: Os dois termos tem a ver com a exclusão de produtos de origem animal do dia a dia das pessoas. Para você entender sobre os dois termos, é necessário ter em mente que o vegetarianismo tem várias “categorias”, chamemos assim. Quem é vegetariano não come carne, mas pode usufruir dos seus derivados (leite, manteiga, queijo, etc.). Ou não come carne mas come sushi, por exemplo. Já o veganismo é mais restrito onde a pessoa não usufrui de nenhum produto de origem animal, seja roupa, comida, bebida, etc.
  • Reflorestamento: O reflorestamento é um das iniciativas mais importante para o planeta Terra. Consiste em repor a vegetação que não existe devido ao desmatamento. Com Decreto nº 3.420/2000 criado pelo Governo Federal, o Programa Nacional de Florestas faz o seu melhor com a finalidade de tornar o Brasil mais verde.

Caso você tenha a curiosidade, perfis como: Marina Godward, Vegana Raiz e Menos 1 Lixo, dão várias dicas importantes para permanecer e fortalecer a sustentabilidade ao redor do globo.

O Dia da Floresta já passou, mas a oportunidade de fazer continuar fazendo o bem estará sempre por aqui.

Artigo anterior O Dia de Sobrecarga da Terra chegou mais cedo esse ano
Próximo Artigo ICMBio comemora seu 12º aniversário

Deixe uma resposta