Avalie este item
  • 0.00 / 5 5
(0 votes)

Crédito: Gabriel Jimenez/Unsplash

Em 25 de julho é celebrado o Dia Internacional da Agricultura Familiar. Apesar de não nos atentarmos, são inúmeros os motivos que temos para celebrar e homenagear os agricultores familiares no mês de julho. Você sabia que no Brasil a agricultura familiar é um dos meios de subsistência mais importantes? A princípio pode parecer algo insignificante. Mas vamos ver que em números essa prática é muito mais importante para a nossa economia do que possamos imaginar. Que tal começar entendendo o que exatamente é a agricultura familiar?

 A agricultura familiar de acordo com a Constituição     


Segundo a Lei 11.326/2006, agricultura familiar é a prática de atividades por famílias no meio rural. Diferente da agricultura não familiar, a propriedade é gerida exclusivamente pela família e sua produção é a sua principal renda. Listamos abaixo todas as regras que definem um empreendedor agricultor familiar:

 

  • É necessário comprovar que a renda familiar é originada dessa atividade econômica;
  • O negócio deve ser obrigatoriamente dirigido por membros da família;
  • Deve predominar a mão de obra de membros da família;
  • A área de cultivo deve ter no máximo 4 módulos fiscais (medida definida por município).

A lei ainda entende silvicultores, aquicultores, extrativistas, pescadores, indígenas e quilombolas como agricultores familiares.

Sua importância para a economia

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Agricultura em 2018, a agricultura familiar brasileira ocupou 8º lugar entre as dez mais produtivas do mundo. Seu faturamento é de US$ 52,2 bilhões por ano.

Já de acordo com o último Censo Agropecuário completo, realizado em 2006, há uma participação admirável da produção familiar na economia. Estima-se que 84,4% dos negócios agropecuários brasileiros seja gerido por famílias. Os dados também apontam que a produção dessas empresas familiares corresponde a 35% do PIB brasileiro.

Ainda segundo o Censo, a agricultura familiar brasileira produz:

  • 87% da mandioca;
  • 70% do feijão;
  • 46% do milho;
  • 38% do café;
  • 34% do arroz;
  • 21% do trigo do Brasil.

 

Esses dados comprovam que a produção do agricultor familiar tem um enorme impacto na economia brasileira. Além disso, é responsável por fornecer alimento ao mercado interno, ou em outras palavras, colocar comida na mesa do brasileiro. Em escala global essa prática também se destaca: 70% dos alimentos consumidos provém da agricultura familiar, de acordo com as Nações Unidas.

Cultivo sustentável

Não bastasse o seu papel na economia, a agricultura familiar também possibilita um cultivo sustentável. Isso porque as áreas de plantação são pequenas e permitem uma produção responsável, com controle dos recursos naturais e menor impacto no meio ambiente.

Em maio de 2019 a Organização das Nações Unidas (ONU) deu início à Década das Nações Unidas para Agricultura Familiar 2019-2028, colocando o pequeno agricultor no centro do desenvolvimento sustentável. O objetivo é unir lideranças internacionais na formulação e implementação de políticas socioeconômicas e ambientais que fortaleçam a agricultura familiar.

Alimentação saudável

A agricultura familiar fornece também à sociedade uma alimentação livre de agrotóxicos. A produção de frutas, verduras e legumes orgânicos ganha cada vez mais adeptos. De acordo com a Anvisa, dentre os alimentos com mais agrotóxicos, estão itens de consumo corriqueiro, como pimentão, uva, morango e alface.

Dados apontam que o Brasil está entre os sete países que mais consomem esses químicos no mundo. Eles servem para evitar pragas na plantação. Dessa forma, muitas pessoas estão buscando como alternativa comprar diretamente de pequenos agricultores alimentos mais puros e ecologicamente sustentáveis. Isso significa uma alimentação sem químicos, apenas com os nutrientes que o cultivo orgânico nos oferece.

Feito em casa

É possível também cultivar alguns alimentos dentro de casa. Uma horta vertical pode ser uma boa opção para ter sempre à mão alguns temperos indispensáveis. Além de prático, não ocupa espaço e diminui as idas ao mercado!

Confira no nosso blog algumas dicas para montar sua mini horta. Além disso, ensinamos como fazer compostagem com os restos de alimentos consumidos no dia a dia para ajudar as suas plantinhas a crescerem saudáveis! E não deixe de conferir as novidades e as ofertas de produtos sustentáveis no nosso site.

Artigo anterior Espaço sustentável criado com apoio da Casa Com Pallet e do EcoConsumo
Próximo Artigo O que você precisa saber sobre a Poluição Industrial?

Deixe uma resposta